A Sony BMG planeja lançar um serviço de música on-line que dê acesso ilimitado a seu acervo e seja compatível com a maioria dos tocadores de MP3. Pela opção mais simples do sistema, os usuários pagariam entre 6 e 8 euros (R$ 16,21 a R$ 21,62) por mês e teriam todo o catálogo da gravadora à disposição.

De acordo com o executivo-chefe da gravadora, Rolf Schmidt-Holtz, seria possível até mesmo que “os consumidores possam ficar com os arquivos das músicas indefinitamente, mesmo depois que a assinatura termine”.

Em uma entrevista ao jornal “Frankfurter Allgemeine Zeitung” na segunda-feira (24), Schmidt-Holtz, não informou quando o serviço será lançado. A Sony BMG tem em seu elenco artistas como Beyonce, Britney Spears e Celine Dion.

O executivo disse que a empresa está negociando com outras grandes gravadoras, mas não informou que empresas seriam essas. Há ainda a possibilidade de fazer parcerias com operadoras de celular, o que permitiria que os usuários fizessem download de músicas por celular.

Na semana passada, surgiram rumores de que a Apple vai lançar um serviço semelhante. Segundo o jornal britânico “Financial Times”, a empresa de Steve Jobs está negociando com gravadoras para que os donos de iPods e iPhones possam pagar uma taxa para ter acesso ilimitado aos arquivos de música.

A fabricante de celulares Nokia também costura um acordo do gênero. Na promoção “Comes with Music”, a ser lançada no segundo semestre deste ano, os usuários poderão ficar com toda a música que baixarem gratuitamente durante um período de 12 meses após a compra de um aparelho celular. A Universal já aderiu à promoção e a EMI também disse estar interessada.

Anúncios

Trent Reznor, da banda-de-um-homem-só Nine Inch Nails, já faturou US$ 750 mil em apenas três dias com o lançamento de “Ghosts I-IV”, disco instrumental que teve sua primeira parte disponibilizada de graça e de forma legal na internet, mas também oferecido em edições de luxo que variavam entre US$ 5 e US$ 300. 

O trabalho é o primeiro depois do fim do contrato com a Interscope, afiliada da Universal. Nos últimos tempos, Reznor vinha reclamando das estratégias da indústria e, principalmente, do valor dos CDs nas lojas.

“Ghosts I-IV” é composto de quatro discos, em um total de 36 faixas, que podem ser comprados por US$ 5 em sua versão digital, US$ 10, pelo CD e o downwload, e edições de US$ 75 e US$ 300 que incluem um disco Blu-ray, um DVD-áudio, vídeos, encarte de luxo, entre outros itens.

De forma diferente, a jogada segue a idéia do Radiohead, que vendeu seu mais recente disco, “In rainbows”, no formato “pague-o-quanto-quiser”.