Quando Eduardo, um belo e promissor jovem advogado, descobriu que herdaria uma fortuna quando seu pai morresse devido a uma doença terminal, decidiu que era uma boa, naquela altura, encontrar uma mulher que fosse a sua companheira para a vida fácil que se avizinhava.

Assim, numa determinada noite, ele foi até o bar da Ordem dos Advogados do Brasil, onde conheceu uma advogada, a mais bonita que já tinha visto em toda a sua vida.

Sua extraordinária beleza, o porte elegante, o corpo curvilíneo, a inteligência, a maneira de falar, deixaram-no sem respiração.

– Eu posso parecer um advogado comum – disse-lhe, enquanto iniciava o diálogo para a conquista da musa – mas dentro de dois ou três meses o meu pai vai morrer, e eu herdarei R$50 milhões.

Impressionada, a bela advogada foi para casa com ele naquela noite.

E, três dias depois, tornou-se sua madrasta.

Anúncios