Depois da Asus com seu EEPC, a Positivo resolveu apostar na idéia e vai lançar em breve sua versão de mini-note no dia 23 de maio.


Este é o Mobo, o primeiro ultraportátil da fabricante brasileira Positivo Informática. E, convenhamos, a maquininha surpreende.

As configurações são basiconas, como se espera de um computador assim: processador VIA de 1 GHz, 512 MB de memória RAM e capacidade de armazenamento em memória flash de 2 GB, que pode ser aumentada com o uso de cartões SD, MMC, MS ou com um HD externo. A tela é de 7 polegadas e a bateria tem autonomia nominal de 4 horas.

O sistema operacional é um Windows XP Home com algumas modificações. A Microsoft, que estava presente no anúncio esta manhã, disse que manterá a distribuição da versão do XP para ultraportáteis até 2010. As versões clássicas do XP deixam o mercado até o final de junho de 2008.

Mas voltemos às configurações. O Mobo traz duas portas USB 2.0, webcam integrada e Wi-Fi nos padrões b e g. Nos aplicativos de escritório, esqueça o Office, mas ele já vem com o BrOffice pré-instalado, uma boa!

O teclado é em português, um pouco desconfortável, por causa das teclas pequenas. Por isso, não vá esperando uma incrível experiência de navegação na maquininha. Usamos por alguns minutos (em pé, apoiado tranquilamente na palma da mão). A imagem na tela não é das melhores, fica um pouco embaçada, sem brilho. E mesmo a navegação no IE é um pouco prejudicada em sites que possuem páginas muito largas.

Mas dá pra se acostumar principalmente se pensarmos que é um equipamento para se usar em ambientes, digamos, “ultra móveis”.

Sim, o próprio presidente da Positivo, Hélio Rotenberg, disse que não é porque o Mobo é um notebook barato – o preço no varejo será de 999 reais – que o foco dele é no consumidor de baixa renda, como os da classe C, responsável por 67% das vendas da Positivo em 2007. “O Mobo é um segundo notebook do usuário, muito mais voltado para as classes A e B”, afirmou Rotenberg durante a coletiva.

De fato, o Mobo é muito prático para levar numa reunião ou para a sala de aula. Outros atributos são o peso – apenas 1,1 Kg -, além de ser pequeno o bastante para caber dentro da bolsa e passar despercebido por ladrões.

Apesar de ser difícil escolher entre o Mobo e o ultraportátil mais popular do mundo, o Eee PC, da Asus, há de se levar em conta o preço mais baixo (o Eee PC sai por cerca de 1 200 reais em lojas online conhecidas) e a capacidade de produção em massa e suporte da Positivo. Achar um Eee PC à venda hoje não é tarefa das mais fáceis, principalmente para quem está fora dos grandes centros comerciais.

HP Pretende entrar pesado na briga





Na terça, Hewlett-Packard deve anunciar oficialmente o lançamento de seu concorrente para a categoria. O mini-notebook pesa 2.6 pounds, tem uma tela de 8.9 polegadas e resolução de 1280×768. Como opcionais tem a Webcam, o sistema operacional e o armazenamento: por $499, o equipamento virá com SUSE Linux e com um drive SSD de 64GB.

O Mini-Note também tem Wi-Fi, portas USB e Ethernet.