A SAP tem apenas perspectivas otimistas com sua recente aquisição, a Business Objects. Comprada por 4,8 bilhões de euros (7,1 bilhões de dólares) a BO se integra a SAP que espera um crescimento de 12 a 14 por cento na receita com software e serviços em 2008, considerando estabilidade cambial. A mesma meta foi apresentada em 2007, mas superada pela empresa.

“Honestamente, vejo apenas o melhor cenário possível, e não outro”, afirmou Bill McDermott, responsável pelas operações da SAP nas Américas, Ásia-Pacífico e Japão, em entrevista por telefone nesta quarta-feira.

McDermott respondia à pergunta sobre o tamanho da vulnerabilidade da SAP a qualquer desaceleração na economia dos Estados Unidos, e se a companhia seria afetada pela exposição adicional aos clientes financeiros norte-americanos devido à compra da Business Objects.

“Os serviços financeiros não têm sido parte grande de nossa base instalada nos EUA”, disse McDermott.

“Nossa exposição não é grande. Mesmo com a Business Objects, realmente vemos isso como uma oportunidade porque a base instalada da SAP é pequena.”

O executivo disse que a SAP espera continuar apresentando crescimento de dois dígitos nas vendas nos Estados Unidos mesmo em caso de recessão por lá, argumentando que os clientes precisam de software para tornar suas operações mais eficientes, mesmo em tempos difíceis.

Anúncios